Os membros dos Órgãos Sociais da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Portimão tomaram posse, no dia 15 de janeiro, na Eucaristia dominical da manhã, na Igreja Matriz. Foram reeleitos como presidente da Mesa da Assembleia Geral o padre Mário Sousa , como Provedor, João Amado e como líder do Conselho Fiscal, Manuel Henrique de Sá Costa Valente.
À cerimónia, num templo repleto de fiéis, compareceram a presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, a vereadora da Cultura, Ana Fazenda, a diretora regional da Segurança Social, Margarida Flores, o presidente da Camara Municipal de Monchique (também vice-provedor da Misericórdia de Monchique), a representante dos secretariados regional e nacional da União das Misericórdias Portuguesas, Patrícia Seromenho (provedora da Misericórdia de Albufeira), provedores das Misericórdias de Alvor, Monchique e Vila do Bispo, outros dirigentes e irmãos de Irmandades congéneres algarvias.


Após a homilia, na Liturgia da Palavra, proferida por aquele prelado e antes de se ter dado início à Liturgia Eucarística, o celebrante anunciou a cerimónia que ali iria ter lugar e, no contexto, aproveitou para relevar “a importância da Irmandade como parte integrante da Igreja Católica, a que todos pertencemos, seja aqui ou em qualquer outro local”.
Mário Sousa salientou “a certeza do cumprimento das 14 Obras de Misericórdia - sete corporais e sete espirituais - por quem agora assumirá os destinos da Irmandade”. Esta Irmandade, segundo referiu Mário Sousa, “é uma associação de fiéis que se orientam por uma Fé em Deus” e por ela e com ela trabalham, “em misericórdia para Glória de Deus”.
O Pároco explicou aos fiéis presentes que, de acordo com as leis canónicas, os Órgãos Sociais eleitos foram referendados e consequentemente aprovados pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, cinco dias após a realização das eleições (18 de dezembro), por seu Decreto de 23 de dezembro.
A tomada de posse ocorreu então. Após leitura do decreto de homologação, todos os Irmãos eleitos foram chamados individualmente e apresentados à comunidade, após o que procederam à proclamação das catorze Obras de Misericórdia e ao juramento solene, pedindo a ajuda de Deus e a proteção de Nossa Senhora.
No final da celebração, perante o Padre Mário Sousa, assinaram o respetivo termo todos os membros efetivos e suplentes da Mesa da Assembleia Geral, Conselho Fiscal e Mesa Administrativa.
Usou, então, da palavra, João Amado, que, mostrando-se agradecido “com as muitas presenças que honram esta Irmandade” e que entende “como sinal do apreço que a Santa Casa da Misericórdia de Portimão merece”, considerou o ato “como início de mais uma jornada na longa caminhada desta Irmandade”, contando, como disse, “com o apoio e amparo dos portimonenses nos bons e maus momentos”.
O reeleito Provedor reafirmou, “perante esta comunidade à qual pertencemos, o compromisso de cumprimento das Obras de Misericórdia”, recordando que a Irmandade é uma associação de fiéis. “Associação de fiéis, pois, é o que nos define e justifica, uma associação aberta, no entanto, sem que isso desvirtue a sua essência, ao contributo de mulheres e homens bons que aqui encontram instrumentos que lhes permitem servir o seu semelhante”, explicou.
João Amado destacou, no contexto, que “se as portas e os braços se abrem para acolher os que, através da Santa Casa querem colocar o seu tempo, conhecimentos e o seu esforço ao dispor da comunidade”, também a instituição, disse, “deve abrir as suas portas para amparar e abrigar todos os que a nós recorrem”, sem “olhar aos seus credos religiosos ou a outras circunstâncias”.
De acordo com o orador, “um dos maiores desafios para o mandato” é continuar a melhorar e a humanizar cada vez mais o Hospital da Misericórdia, batizado de São Camilo de Lélis, que passará a ser gerido maioritariamente pela Santa Casa, mantendo, no entanto, uma ligação ao Hospital Particular do Algarve. Aludindo a esse desiderato, João Amado citou São Camilo, naquilo que ele entendia ser fundamental no tratamento dos doentes.” Coloquem mais coração nas mãos! Não é suficiente fazer bem as coisas, é preciso fazê-las com o coração”. É, aliás, neste princípio de entrega solidária, que João Amado quer orientar o seu mandato, “com o coração na obra, mas sem descurar a razão”
A encerrar a cerimónia usou da palavra Isilda Gomes, que saudou “todos aqueles que tomaram posse, muito em especial o Provedor e o Presidente da assembleia Geral”.
A autarca considerou que ”o compromisso pessoal hoje assumido por estes homens e mulheres é, sem dúvida, para ser cumprido”. “É um compromisso perante Deus e a vossa obra, em que quereis pôr o coração, será realizada”, disse bastante emocionada Isilda Gomes, recordando que o Coração, símbolo estilizado usado também pela Santa Casa, foi idealizado por seu filho, Hugo Gomes, falecido há cerca de um ano. 
T.M. e José António Santos (Fotos)

 

Órgãos Sociais

 

MESA DA ASSEMBLEIA
Presidente – PADRE MÁRIO JOSÉ R. SOUSA
Vice-Presidente - ALVARO MIGUEL PEIXINHO ALAMBRE BILA
Secretário - NUNO MIGUEL VICENTE DOS SANTOS

 

MESA ADMINISTRATIVA
Provedor - JOAO MANUEL MALVEIRO AMADO
Efetivos:
PEDRO MIGUEL MARREIROS BERNARDO MARTINS
GREGÓRIO VIEIRA CABRITA
JOAO PEDRO VASCO MONTEIRO CORREIA
ANA ISABEL LOPES JONAS
Suplentes:
LUIS MIGUEL GONÇALVES SARRAGUÇA
DAVID LUIS MALHA FRANCO

 

CONSELHO FISCAL
Presidente - MANUEL HENRIQUE DE SÁ C. COSTA VALENTE
Vice-Presidente - FRANCISCO LOPES NETO CABRITA
Secretário - JOAO MIGUEL DUARTE MARCIAL
Suplentes:
LUIS FILIPE MEDEIROS TAVARES GUERREIRO
MARIA ISABEL MOURA LIMA DA SILVA
MARIA DA CONCEIÇÃO VELHINHO DA SILVA NORA

 

 

 

 

ver mais fotos em https://www.facebook.com/SantaCasaDaMisericordiaDePortimao/videos/720540581446894